sae classifica

Significado de algumas siglas nas embalagens de lubrificantes.

Estas são siglas de entidades internacionais que são responsáveis pela elaboração de uma série de normas (baseadas em testes específicos) para a classificação dos lubrificantes, de acordo com seu uso. Desta forma, o consumidor tem como identificar se o lubrificante atende às exigências de seu equipamento, consultando seu manual.

Como exemplo temos:

SAE – Society of Automotive Engineers
É a classificação mais antiga para lubrificantes automotivos, definindo faixas de viscosidade e não levando em conta os requisitos de desempenho.

Apresenta uma classificação para óleos de motor e outra específica para óleos de transmissão.

API – American Petroleum Institute
Grupo que elaborou, em conjunto com a ASTM (American Society for Testing and Materials), especificações que definem níveis de desempenho que os óleos lubrificantes devem atender.

Essas especificações funcionam como um guia para a escolha por parte do consumidor. Para carros de passeio, por exemplo, temos os níveis API SJ, SH, SG, etc…

O “S” desta sigla significa Service Station, e a outra letra define o desempenho. O primeiro nível foi o API SA, obsoleto há muito tempo, consistindo em um óleo mineral puro, sem qualquer aditivação.

Com a evolução dos motores, os óleos sofreram modificações, através da adição de aditivos, para atender às exigências dos fabricantes dos motores no que se refere à proteção contra desgaste e corrosão, redução de emissões e da formação de depósitos, etc..

No caso de motores diesel, a classificação é API CI-4, CG-4, CF-4, CF, CE, etc.

O “C” significa Commercial.

A API classifica ainda óleos para motores dois tempos e óleos para transmissão e engrenagens.

ACEA – Association des Constructeurs Européens de l´Automobile (antiga CCMC)
Classificação européia associam alguns testes da classificação API, ensaios de motores europeus (Volkswagen, Peugeot, Mercedes Benz, etc.) e ensaios de laboratório.

JASO – Japanese Automobile Standards Organization
Define especificação para a classificação de lubrificantes para motores a dois tempos (FA, FB e FC, em ordem crescente de desempenho).

NMMA – National Marine Manufacturers Association
Substituiu o antigo BIA (Boating Industry Association), classificando os óleos lubrificantes que satisfazem suas exigências com a sigla TC-W (Two Cycle Water), aplicável somente a motores de popa a dois tempos. Atualmente encontramos óleos nível TC-W3, pois os níveis anteriores estão em desuso.

telefone rodotransporte

Fonte: www.br.com.br / www.rodotransporte.com.br

Comments
  1. Francisco Muniz disse:

    Quero parabenizá-los pela iniciativa em divulgar essas tão importantes informações para nós consumidores. Eu sempre senti a necessidade de conhecer o significado disso que para mim eram códigos indecifráveis, no entanto sabendo que continham informações de grande importância, mas não tinha como obtê-las, porem agora atrvés do vosso valioso trabalho, as tenho. Obrigado

  2. Reinaldo silva de farias disse:

    muito bom

  3. Carlos Costa disse:

    Na verdade a classificação dos óleos segundo a API, é de acordo com o tipo de operação do motor. Os motores a combustão interna que utilizam velas para gerar a combustão, são lubrificados pelos óleos API S – onde o “S” vem de spark (faísca). Os motores a diesel, combustão espontânea, são os API C- onde “C” vem de compression (compressão) e os óleos lubrificantes para engrenagens são os API GL- onde “GL” vem de gear lubrificant (lubrificante de engrenagens).

  4. Leandro Costa disse:

    Excelente informação. Nos ajudou muito!!
    Silvana Cavalcanti e Leandro Costa – São Pedro da Aldeia – RJ

  5. André Kochan disse:

    Muito obrigado, excelente informação, este site sempre me ajuda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *